A coceira dos sete anos

A gente sempre critica as traduções esdruxulas que os títulos de filme americanos sofrem quando chegam aqui nas terras tupiniquins, então tenho o prazer de apresentar para vocês uma exceção que eu assisti neste final de semana: O Pecado Mora ao Lado (The Seven Year Itch).

É uma daquelas deliciosas comédias românticas que o Billy Wilder realizou nos anos 50, estrelada por Marilyn Monroe e Tom Ewell.

Tom acabou de despachar sua esposa e filho para férias de verão fora de Manhattan e pretende ficar dentro da linha, ao contrário da maioria dos nova-iorquinos da época. Justamente por ele querer se manter fiel é que aparece uma nova vizinha, interpretada por Marilyn Monroe. Daí em diante, a confusão está armada.

É impressionante conferir o tipo que Norma Jean (Marilyn) criou: uma mulher doce e tolinha, capaz de revelar com a maior inocência que "está tão quente que deixei minhas calcinhas esfriando na geladeira". Sério! Ela diz isso e muito mais sem parecer vulgar por um instante sequer. Tudo é calculado, até o timbre da voz, para provocar o desejo dos homens.

É esse o filme que tem a famosa cena de Marilyn esperando pelo vento que sopra dos túneis do metrô para se refrescar, uma das cenas mais famosas de todos os tempos. Ah! E eu pude assistir e babar à vontade, afinal, gente, é a Marilyn Monroe em cena! Num caso desses, qualquer homem tem licença para babar sem apanhar.

Infelizmente, a desgraça na vida dessa atriz é que muitos foram os bananas (até mesmo um presidente) que acreditaram que a personagem era a pessoa real. Uma injustiça, pois a atriz sempre se esforçou para mostrar que seu talento superava o rótulo.

Por fim, um momento do filme que o Mouta certamente vai gostar, um momento de metalinguagem. Fala o personagem de Tom Ewell para um bedel intrometido: "Você acha que tem uma mulher por aqui? Acha, por acaso, que a Marilyn Monroe está escondida na cozinha?" (e estava, literalmente).

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Cinema

Uma resposta para “A coceira dos sete anos

  1. Daniel

    O Mouta já assistiu esse filme há muitos anos – uma vez eu tentei lembrar o título e só me lembrava em inglês…Uma delícia, como quase todos os do Billy – "quanto mais quente melhor" (some like it hot) e "se meu apartamento falasse" (the apartment). ambos com Jack Lemmon, e o primeiro deles com a Marilyn, são ór-concur!! Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s